id="news"-->
Vereadora de Cabedelo vai pedir destituição de Mesa Diretora da Câmara e eleições diretas na cidade
em 18-04-2018 05:30:00 (128 leituras)

A vereadora Fabiana Régis, do município de Cabedelo, no Litoral Norte do Estado, pretende pedir a destituição da mesa diretora da Câmara de Vereadores da cidade. A intenção do pedido é culminar com a realização de novas eleições na cidade. “É a maneira mais democrática da gente atender a população. A população está sem entender o que está acontecendo, quem vai ficar, quanto tempo fica”, justificou a vereadora em entrevista ao ClickPB nesta quarta-feira (18).



O pedido deve ser protocolado na próxima segunda-feira (23) quando a vereadora retorna para a Câmara após um período de licença médica motivada por uma cirurgia de emergência. Fabiana é uma das cinco vereadoras que restaram na Câmara Municipal após a Operação Xeque-Mate, deflagrada pela Polícia Federal e que resultou na prisão do prefeito, vice-prefeito de Cabedelo e de cinco vereadores, além do afastamento de outros cinco.                                                                                                                                                             

Inicialmente, Fabiana pretende provocar a Câmara para a realização de uma sessão solicitando à Justiça providências em relação ao assunto. Além de pedir a destituição da Mesa Diretora “por conta da votação que ocorreu com membros suplentes”, Fabiana Régis explicou que “a gente vai solicitar a cassação das pessoas que foram presas e afastadas”.                                                                                                                                                           

Ela acredita que o pedido poderá sanar as dúvidas da população em relação ao processo democrático e promover mais tranquilidade e segurança em relação à gestão administrativa da cidade. “Eu sei que nós temos o apoio da população. Não é uma coisa rápida, mas é uma coisa que tem que ser feita”, afirmou a vereadora. Durante a busca por uma solução, a vereadora defende que as ações na cidade não parem. “A gente vai acompanhar o processo, mas vamos continuar trabalhando”, enfatizou.                                                                                                                                                           

Fabiana lamentou ainda que a maior parte dos trabalhos na Câmara Municipal permanece parada. Como a maioria dos vereadores é de suplentes, eles não integram comissões parlamentares e os trabalhos legislativos não têm andamento. A vereadora ainda explicou que seu posicionamento na Câmara vai depender das ações administrativas do prefeito interino Victor Hugo. Fabiana reconheceu ainda que o interino tem tomado ações importantes em relação, principalmente, ao servidor público.                                                                                                                                                           

Fonte: clickpb

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo